Domingo, 11 de Abril de 2010

Eu participei nestas jornadas até à final!

Todo o norte vibrou com a vitória do Braga na "Taça de Portugal" de 1965/66. Foi uma vitória sem a mais pequena sombra. Final do povo o dia 22 de Maio de 1966 ficou para sempre gravada a letras de ouro na história do S.C. Braga. O Sporting Clube de Braga, 10º classificado no Campeonato Nacional desse ano, vence, com surpresa de alguns, mas com a justiça reconhecida por todos a 26ª edição da Taça de Portugal. E não foi fácil, pelo caminho os bracarenses deixaram de uma forma briosa, a Ovarense, o Atlético, os Açoreanos do Lusitânia, o Benfica (Campeão Europeu) e o Sporting (vencedor do campeonato da época) para defrontarem na final a categorizada formação setubalense, 5º classificado, detentor do Troféu e equipa que pouco tempo antes havia brindado o Braga com 7-0 para o Campeonato Nacional. Vitória por 1-0 com golo de Perrichon. Contrariando o natural favoritismo do antagonista, os futebolistas do Sporting de Braga, conseguiram realizar uma exibição notável. Por isso o tratamento de "heróis" com que foram apelidados e carinhosamente tratados tanto no Jamor como na entusiástica recepção em Braga. A cidade havia-se mudado para Lisboa e Jamor transformou-se na mais popular romaria minhota. Os bracarenses acorreram aos milhares. Em Braga o comércio fechou, organizaram-se excursões, alugou-se um comboio especial e levaram-se Zés Pereiras e muito, muito verde. Apostando na inteligência para controlar o adversário e tirando partido da sua altivez o Braga seduziu os 35000 espectadores presentes e calou a crítica especializada. Manuel Palmeira, uma velha glória do clube, auxiliado pelo Secretário Técnico Sim-Sim, conduziu com mestria a equipa e a final plebeia - como lhe chamaram - transformou-se no mais nobre duelo disputado por duas equipas que honraram o emblema que tinham ao peito. Em hora de recordações, não seria correcto distinguir nenhum atleta em particular, mas é impossível esquecer a grande exibição de Estevão ao "secar" Jaime Graça, e o golo, a 15 minutos do final, do argentino Perrichon. O Braga, 10º classificado no campeonato nacional estava por direito próprio na Taça das Taças. Esta conquista - o mais belo feito do clube - traduz também e de uma forma vincada, o amor clubista com que a cidade e os associados em particular, nutrem pelo Sporting de Braga. Toda a cidade empunhando bandeiras e dísticos alusivos, esperou a comitiva bracarense e em carro aberto, desfilou de Ferreiros até à Câmara Municipal e à sede do Clube. Os onze magníficos: Armando, Mário, Juvenal, Coimbra, José Maria, Canário, Luciano, Bino, Adão, Perrichon e Estevão.

 

* Extraído do sítio SUPER BRAGA

 

tags:
publicado por bracarix às 14:01
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. O ENORME à altura dos gra...

. O ENORME é Único na LIGA ...

. Passados 42 anos: a mesma...

. Eu participei nestas jorn...

. Confiantes no sucesso!

. A importância da ex-Braca...

. O 25 de Abril em Braga!

. Panorama da Cidade.

. Na vanguarda com muito mé...

. «Leões» de trela!

.arquivos

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Outubro 2007

. Agosto 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Bella Ciao

. A quem devemos pedir resp...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds